The Bottom Line #1: "Never Before. Never Again."


Fala galerinha ligada no House Of Wrestling, tudo bom com vocês? Espero que sim, pois está chegando a primeira coluna deste novo HOW, sendo esta a "The Bottom Line".

Nesta coluna, serão postadas uma espécie de revisão de grandes eventos da WWE ao longo dos anos, passando pela First Era de Ric Flair, dando uma pitadinha na Attitude Era de Steve Austin, e com muitos conteúdos da PG Era que estamos vivenciando. Na edição de hoje o alvo será o Survivor Series 2011. Sem mais papo, clique em leia mais

Bem pessoal, começarei explicando o que de fato este pay-per-view tinha de principal consigo, mesmo achando que eu não preciso relembrar isso, mas vamos lá...


Tudo aconteceu, após uma vazar uma imagem no Twitter, afirmando que John Cena e The Rock se juntariam no evento somente uma vez na história, como nunca visto antes, e nunca mais se repetindo, confirmando uma antiga promo do "Peoples Champion" que disse que estaria pronto para "chutar o traseiro" de Cenation Leader antes da WrestleMania XXVIII, como era o combinado. Após isso, em um Monday Night RAW em que John estava em uma forte rivalidade com a carismática Awesome Truth (The Miz e R-Truth), este veio a anunciar o que já era previsto, que no Survivor Series, seu parceiro para enfrentar os pequenos vilões seria The Rock.

Seguindo o padrão da imagem vazada propositalmente pela WWE no Twitter, o pay-per-view teve como subtítulo a frase: "Never Before. Never Again", promovendo o evento que seria realizado no Madison Square Garden de maneira fantástica.

Chegado o dia do PPV, temos um Madison Square Garden enlouquecido, como de costume, pois naquela noite, The Rock estaria fazendo a lendária dupla com John Cena, e outras cinco grandes lutas iriam compor tal evento.


Mesmo com tamanha qualidade dos competidores, esta luta já tinha como maior foco, promover a futura chance de Zack Ryder ao título, e também, de ser a última de John Morrison dentro da WWE. Ziggler venceu, mas com tamanha qualidade do combate, cheguei a acreditar num possível milagre com uma vitória de Morrison. Um grande detalhe que me fez ficar totalmente alucinado, foi o fato de o público presente gritar a todo tempo da luta: "We Want Ryder". Sem falar, que em vários momentos, Dolph Ziggler chegou ser absurdamente aplaudido, sendo assim, um ato muito curioso por tal ser um Heel.


Bom, muitos quando viram tal luta acharam que seria como mais uma encenação de dois ou três minutos, chegando a descartarem o fato de que era uma "Lumberjill Match". Pois bem, tenho que admitir que o fato de mais Divas estarem fora do ringue não influenciou em absolutamente nada. Porém, a luta durou cerca de sete minutos se não me falha a memória, tendo um final impressionante com Phoenix executando um "Glam Slam" sobre Eve de cima da terceira corda, algo que não se via a muito tempo dentro da WWE e de nenhuma empresa de wrestling como a TNA, por exemplo. Phoenix com certeza venceu, mas para mim, de lá pra cá, essa foi uma das, senão a melhor luta de Divas dentro da empresa de Stamford.


Em minha opinião, se teve um único erro no pay-per-view, foi quando a empresa resolveu colocar apenas uma luta ao estilo "Traditional Survivor Series - 5 on 5 Elimination Match", porém, a única presente se rasgou de tantos elogios. Tal combate, serviu para reforçar a ideia que a WWE tinha no ano passado de dar um grande push a Wade Barrett que infelizmente veio a se lesionar cancelando o negócio todo, e Cody Rhodes, que pelas malditas drogas, ficou depois de um tempo e até agora na geladeira. Em si, tudo foi muito bem elaborado, dando destaque para Hunico e Sín Cara, que por não estarem até tal momento acostumados com grandes participações eventos deste tipo, se saíram muito bem, dando um bom caldo para a luta.

Se lembram de quando eu disse que o principal foco da luta consistia em promover o push de Wade Barrett e Cody Rhodes? Então, a luta terminou após Orton aplicar um "RKO" em Rhodes, sofrendo um "Wasteland" de Barrett encerrando combate com a vitória dos heels, algo que em minha opinião, foi sensacional e não tão previsível quanto parece.


Bom, esta luta serviu somente para a WWE enrolar mais um mês para finalmente programar o cash-in de Daniel Bryan, que naquelas alturas, era o SmackDown Mr. Money In The Bank. Sério gente, uma luta que de fato honrou a categoria por serem dois pesos-pesados, porém, sem sal e sem açúcar pelo mesmo motivo. No fim das contas, Henry aplicou um "Low Blow" (Golpe Baixo) em Big Show terminando a luta por Disqualification, ficando com o título, onde no TLC perdeu para Show, que em 5 segundos como campeão, levou o cash-in de Bryan.


Nessas alturas do campeonato, o público já se consumia de impaciência para o Main Event, pois The Rock já havia dado uma promo nos backstages enlouquecendo o público presente. Porém, ainda faltava ver CM Punk iniciar um dos mais longos reinados como WWE Champion após derrotar Alberto Del Rio que em minha opinião não merecia perder o título tão cedo, depois de te-lo reconquistado como um grande heel no Hell in a Cell. Porém, a WWE não quis nem saber, e como de costume, logo aderiu a ideia de um Face adoradinho pelos fãs conquistar o principal título, o que também não foi de tudo ruim. Após um "GTS", a massa do "Straight Edge Savior" saltou de alegria no ginásio em Nova Iorque.


Finalmente chegamos ao Main Event, e claro, o Madison Square Garden estava tão eufórico que aplaudiu até mesmo as entradas iniciais da Awesome Truth, cuja qual, contou com mais um grande rap vindo de R-Truth. Bom, mas nem tudo foram flores, John Cena foi sem a menor dúvida, o cara mais vaiado de todo o pay-per-view. Quando The Rock entrou, me lembro que até um problema de audio na stream que eu acompanhava o pay-per-view foi ocasionado, tudo pelo barulho ensurdecedor do ginásio, que sem sombra de dúvidas, fez meus olhos brilharem com tamanha grandiosidade.

Indo para o combate, muitos poderiam achar que não teria motivo Rock voltar a WWE para ser derrotado por dois heels. Porém, se fossemos levar a história a fundo, a chance disso acontecer era maior de que uma vitória. Pois na real, Cena poderia muito bem sofrer um Heel Turn e atacar "The Brahma Bull" fazendo com que ambos perdessem. Ou até mesmo um possível desentendimento que poderia custar a vitória.

Mas como a maioria pode ver, para a alegria da grande massa em Nova Iorque, a vitória veio, e de uma maneira simplesmente fantástica, sendo a sequencia de um "Spine Buster" seguido de um "Peoples Elbow" sobre Miz. Sendo que, após uma pequena humilhação de The Rock em John Cena após o combate, ainda sobrou tempo de um "Rock Bottom" sobre o "Cenation Leader".


Bem pessoal, minhas considerações finais, ficam por conta de dar uma nota 10 para este pay-per-view. Muitos podem cornetar afirmando que a World Title foi ruim, ou que a luta de Divas nem foi tão interessante assim. E sem dúvidas estariam certos, mas gente, pensem comigo, eu quando vi todo aquele universo acompanhado daquele grandioso espetáculo, foi simplesmente emocionante e sensacional. Outro fato, foi que The Rock voltou totalmente em forma, sendo que tal esteve bem melhor de que quando juntamente de Mick Foley perdeu aquela luta para a Evolution na WrestleMania. Sem dúvidas, foi para mim, um dos maiores pay-per-views já feitos pela WWE na era moderna do Wrestling (PG Era).

Bem pessoal, espero que tenham gostado desta edição de estréia da "The Bottom Line". Volto com a coluna daqui a duas semanas, com um novo pay-per-view, uma nova história e uma nova atmosfera. Até breve pessoal.

"That's All...Little Jimmys"

1 comentários:

  Leonardo.WordLife.Thuganomics

1 de setembro de 2012 19:04

Espero que tenham gostado pessoal.